Risco

Quando ouvimos a palavra risco, de imediato, associamos a alguma coisa ruim. Por exemplo, risco de ser assaltado, risco de morte, risco de perder dinheiro, etc. Por definição, o significado da palavra risco está ligado à probabilidade de alguma coisa acontecer, seja ela boa ou ruim. Nós que por algum motivo de autopreservação, medo do desconhecido ou, medo de errar, relacionamos apenas a perigo iminente, ameça.

Arrisque-se e terás a chance de ganhar!

Essa ideia é totalmente aceitável uma vez que o desconhecido nos desperta o cuidado, faz com que redobremos nossa atenção para situações em apresentem algum tipo de risco, como andar por uma rua desconhecida à noite. Embora em outros momentos, nos arriscamos em situações nas quais o risco também está presente, como ir para uma balada, beber apenas duas cervejas e, em seguida, dirigir. São situações diferentes que envolvem risco, porém, temos comportamentos diferentes, por que será!?

Dando ênfase ao significado da palavra, podemos simplesmente associar risco às chances que nos aparecem quando nos dispomos a fazer além do que podemos. Quais são as chances que temos de ficar rico? Se apostarmos na mega sena é de 1 em 50 milhões. Se você nunca jogou, suas chances são 100% menor do que alguém que joga, ou seja, se não fizermos nada para nos expormos às chances que nos aparecem, diminuímos nossas probabilidades de obter sucesso.

E assim acontece em qualquer aspecto de nossas vidas, no trabalho, nos projetos que não realizamos, nos sonhos que deixamos anotados em algum pedaço de papel, nas relações que mereciam mais de nós. Quando não fazemos o que é preciso para chegar onde desejamos, corremos o risco de conseguir justamente isso, nada. Mas existe também a possibilidade de tudo dar certo.

Assumir riscos nos permite descartar alternativas que estão em nossa mente e que de alguma forma seriam oportunidades perdidas se nada fizéssemos. Correr riscos significa entrar no jogo e estar disposto a perder um pouco para obter um ganho muito maior, nada vem de graça e é preciso estar disposto a sentir medo, assumir riscos, perder e tentar novamente para alcançar nossos objetivos.

“É necessário correr riscos, seguir alguns caminhos e abandonar outros. Ninguém é capaz de escolher sem medo”

Paulo coelho

Lacunas

Lacunas são espaços vazios, reais ou imaginários e, podem representar uma falha ou, ainda, ausência de alguma coisa que nos faz falta. As lacunas existem única e exclusivamente para serem fechadas, cobertas com algo que seja forte o suficiente a ponto de não permitir que outra fissura apareça no lugar. Elas não podem ser esquecidas ou, simplesmente deixadas de lado, se por um acaso isso acontecer, permanecerão ali, no canto, mas estarão sempre presentes.

lacunas
As lacunas em nossas vidas podem nos derrubar ou, nos engrandecer.

Mesmo uma lacuna sendo um espaço pequeno que foi negligenciado e deixado de lado, pode impactar negativamente conforme o nosso crescimento. Imagine uma casa com uma parede que apresenta uma lacuna entre suas camadas, essa mesma lacuna representa um perigo bem maior se existir em um prédio de cem andares não é verdade!? As lacunas que não são resolvidas não crescem junto conosco mas, nos acompanham junto com as consequências.

Do mesmo modo que essas lacunas indicam um espaço vazio em nossas vidas, elas servem para nos mostrar o que é preciso fazer para que as coisas deem certo. Às vezes, nossos planos não saem como o esperado, nos vemos presos em uma situação para a qual não nos preparamos, então cria-se uma lacuna, que quando for devidamente fechada nos proporcionará um crescimento pessoal igualmente prazeroso. Assim como ela corrói, ela edifica!

Sempre temos a opção de fechar as lacunas que eventualmente aparecem no meio do caminho, com esforço, estudo, empenho pessoal, amadurecimento ou, simplesmente, aceitação. Isso nos fortalece, assim, seremos os primeiros a usufruir dos benefícios! Por consequência, as pessoas que estão conosco. Para que possamos mudar o ambiente ao nosso redor, precisamos primeiramente mudar a nós mesmos e, isso inclui fechar as lacunas que impedem o nosso desenvolvimento.

Bonsai

Bonsai são árvores em miniaturas que são cultivadas em um vaso e, o seu significado remete justamente a isso “cultivado, plantado em bandeja ou vaso”. Esses tipos de árvores necessitam de uma atenção a mais, por não estarem com suas raízes na terra, precisam de nutrientes com mais frequência, podas regulares para estimular o crescimento e, à medida que crescem é preciso transplantá-las para um vaso maior.

bonsai
bonsai

Ao contrário do que muitos pensam, bonsai não é o nome da árvore, e sim, a técnica que tem por objetivo miniaturizar uma árvore, preservando todas as suas características, tais como: aspectos de folhagem, frutificação, entre outros. Embora fique realmente muito bonita, está condicionada a crescer sob cuidados excessivos, produzindo frutos pequenos, não servirá de sombra a quem procura um descanso e, não promoverá o pouso de pássaros em busca de alimentos o que permitiria espalhar as sementes por ai.

Todos nós temos condições de nos tornamos árvores mas, para que isso dê certo é preciso contar com pessoas que nos façam crescer, nos alimentem de coisas boas e nos permitam criar raízes diretamente no solo e, não em vasos, para que fiquemos cada vez mais fortes e resistentes às adversidades que nos são colocadas durante o percorrer da vida.

Uma árvore com raízes fortes pode sobreviver a uma tempestade, um bonsai seria levado por ela.

Não deixemos que nos limitem, em qualquer aspecto que seja, pessoal, profissional ou, social. A limitação é como o vaso da árvore miniaturizada pela técnica bonsai. Ao mesmo tempo que ele a protege e envolve com a terra necessária para o seu cultivo e permite carregá-la para onde quer que seja, também impede o seu desenvolvimento em sua plenitude. Se não formos plantados no solo, para que nossas raízes cresçam, nosso tronco se enrijeça e nossos galhos frutifiquem, seremos iguais a um bonsai, existimos, mas apenas como decoração.

Servidão

Se pudéssemos definir uma ação que pode interligar todas as pessoas, eu diria que é a servidão. O simples ato de servir ao próximo em qualquer cenário, tipo de serviço, necessidade pessoal, relações de trabalho, familiares, amizades ou, até mesmo quando não existe nenhuma ligação direta entre as partes envolvidas, o ato de servir aproxima as pessoas ao que de fato somos, seres humanos.

Nem sempre é uma tarefa fácil se dispor a servir alguém. Estamos em um mundo cada vez mais cercado de perigos, desconfianças, com o instinto de autopreservação no limite, que passamos a ignorar às necessidades dos demais em prol de nossas próprias vontades e, muitas vezes nem é nada disso. Ignoramos por egoísmo ou, comodismo que o ritmo acelerado nos dá como recompensa em troca do nosso tempo.

Muitos problemas não foram causados por nós, mas podemos servir para tentar resolver!

Quando passamos a enxergar às necessidades dos outros, começamos um processo interno que é o de melhoria pessoal. Servindo a alguém ou, a algum propósito definido, nos despimos de nossos preconceitos e medos para a prática de gestos, ações e atitudes que promovem um bem-estar pessoal e nos ajuda de fato a melhorar.

“A mudança externa precisa começar a partir de uma mudança interna”

Independente da fase da vida na qual nos encontremos, estaremos sempre servindo ou, necessitando que alguém nos sirva, faça um retrospecto da sua vida e verás que é verdade. Essa relação simplesmente existe, quer queiramos, quer não. A maneira como lidamos com isso pode ser um fator determinante para as relações futuras, compreensão das pessoas e interfere diretamente nas relações sociais ao nosso redor.

Antes de começarmos a servir os outros, precisamos servir a nós mesmos. É edificante poder ajudar alguém quando se faz mais necessário, porém, a ação sem a verdadeira intenção em nada modifica quem a pratica, é o “fazer por fazer”. Assim como o primeiro a ser beneficiado pelo perdão é aquele que perdoa, o primeiro a ser beneficiado pelo ato de servir é quem se dispõe a servir!