Vencedor

Qual é a percepção de vencedor que temos em nossa mente? Talvez a de uma pessoa bem sucedida na vida, mas ai vem outra questão: O que é ser bem sucedido hoje em dia? Ah, ter muito dinheiro, uma boa carreira, ter liberdade para poder fazer o que quiser quando quiser, alguns podem pensar de imediato. Mas, uma pessoa pode ser rica e, ter uma série de outros problemas que ficam disfarçados em virtude de um fator estar mais exposto que os demais.

Não é sobre chegar primeiro, e sim, superar nossos próprios limites

Para vencer na vida, é preciso antes de tudo entender que consiste em uma competição individual, é só você contra você mesmo! Não tem razão comparar a sua vida com a de quem quer que seja. Claro, que no meio do caminho existem diversos fatores que podem contribuir, ou dificultar o progresso – sorte, QI, educação, condições adequadas, boa estrutura familiar, boas referências, meio em que vive, etc – mesmo com tudo isso à disposição, compete unicamente ao indivíduo a decisão de fazer dar certo ou não.

Além disso, não precisamos sair vitoriosos de todas as batalhas para vencermos uma guerra, mas cada derrota deve servir de aprendizado e incentivo para que na próxima vez tenhamos chances maiores de ganhar. O vencedor é aquele que não desiste na primeira adversidade, ou na segunda que seja, é aquele que consegue persistir mesmo com todas as dificuldades impostas propositalmente ou, inesperadas da vida. Um pai de família que consegue com muito esforço criar seus filhos e, estes, tornarem-se bem sucedidos, é um vencedor de marca maior com toda a certeza!

“Não é preciso ter olhos abertos para ver o sol, nem é preciso ter ouvidos afiados para ouvir o trovão. Para ser vitorioso você precisa ver o que não está visível”

a arte da guerra

Muitas vezes, temos em mente que o vencedor coleciona apenas vitórias, quando na verdade isso é só a parte visível de todo o processo pelo qual passou para estar ali. Esse processo é composto por estudos, renúncias, perdas, práticas, tentativas, mudanças e tudo o que pode interferir, ou ajudar em seu crescimento. Todos podemos ser vencedores em algum aspecto. A competição coletiva deve ser utilizada para agregar e não para destruir. Conquistas não são para serem comparadas, são para serem admiradas e utilizadas como incetivo para que cada um seja vencedor a seu modo.

Pressa

Pressa, pressa, pressa… Definitivamente, vivemos em um mundo onde a necessidade para tudo parece ser para ontem. Estamos ficando cada vez mais ansiosos por resultados, realizações e conquistas pessoais, subir de degrau na vida, desejos que nem sabemos ao certo se queremos realizar mas, o imediatismo, a exposição exacerbada da vida e, a possibilidade infinita de opções nos traz a falsa sensação que precisamos fazer, mas nem sempre é verdade.

A pressa, muitas vezes, pode tirar a beleza do momento.

Uma frase que eu acho muito legal é: “Não compare os seus bastidores com o palco de outra pessoa”. Quem olha de fora, desconhece todo o processo pelo qual alguém passou para chegar onde está agora. E o que de fato importa não é o resultado em si, mas o processo feito para alcançá-lo. Uma vez que tudo é feito como se deve, os resultados tendem a aparecer naturalmente, como consequência de todo esforço empregado.

Ai que mora o problema… Estamos em um ritmo onde tudo muda a todo instante. em todos os aspectos. Passamos por diversas mudanças: climáticas, políticas, econômicas, sociais e individuais. O processo para criação e usufruto de algo está sendo substituído por momentos líquidos e sem pertencimento a algo mais profundo. Por exemplo, antigamente, nossos pais trabalhavam durante a vida toda para usufruir de uma aposentadoria e aproveitar a “melhor idade”, hoje, queremos aproveitar ao máximo o agora sem importar tanto com o futuro.

Não é uma comparação sobre qual atitude é melhor, afinal, são outros tempos…

Para se formar um bebê demora nove longos meses e, depois desse tempo, ainda tem todo um trabalho de acompanhamento, cuidados e, educação para que ele tenha condições de se tornar uma boa pessoa – não existe garantia de nada. Coisas boas levam tempo para acontecer porque precisam justamente de tempo para amadurecer, criar raízes, vínculos fortes o suficiente para garantir proteção, reconhecimento do ambiente e internalizar ideias para que deixem de ser vontade e passem a fazer parte de um propósito.

A vida não é uma corrida de 100 metros onde precisamos empregar todas as nossas forças para chegar mais rápido até o pódio. E, dificilmente, o vencedor consegue correr logo em seguida. A vida está mais para uma maratona e, assim como Fidípedes que morreu após concluir a distância do campo de batalha de Maratona até a cidade de Atenas para informar sobre a vitória contra os persas, todos nós iremos… Essa corrida porém, é a única coisa na qual ninguém tem pressa em realizar.

Não tenhamos pressa, mas não percamos tempo

josé saramago

Distribuição Normal

Na área da matemática e da estatística, a distribuição normal é uma das distribuições mais utilizadas para modelar fenômenos naturais. Isso se deve ao fato de que um grande número desses fenômenos apresenta sua distribuição de probabilidade tão proximamente normal. Falando em termos matemáticos, consiste em uma distribuição de probabilidade absolutamente contínua parametrizada pela sua esperança matemática e desvio padrão. Difícil?

Quando sabemos usar as variáveis corretas, tudo fica mais fácil

Talvez o conceito formal seja um pouco complicado de entender mas, vamos imaginar que você esteja respondendo a uma pesquisa para descobrir a média de altura dos brasileiros. Haverá diversas respostas e, pessoas com diferentes alturas, não é verdade? Mas ao final, será possível determinar um intervalo no qual haverá uma maior quantidade de alturas respondidas, provavelmente bem no meio das faixas de valores apresentados. Essa ideia pode ser melhor visualizada utilizando um tabuleiro de Galton.

Por mais que algumas pessoas façam o que for necessário para buscar uma melhoria de vida, realizar algum projeto grandioso, alcançar um objetivo que parece impossível, muitas caíram na “normalidade”. Não que não seja possível fazer tudo o que se deseja mas, a verdade é que para alguns isso é mais difícil. Precisam de mais esforço, mais dedicação, mais comprometimento e mais resiliência para não se deixar abater diante das situações adversas que aparecem pelo caminho e, isso deixa o resultado mais recompensante do que era inicialmente.

Com mais empenho empregado para estudo e realização de algo, passamos a tomar decisões melhores e, com isso, parece que a sorte começa a sorrir pra gente. Passamos a pensar diferente, priorizar objetivos que realmente agreguem ao nosso perfil comportamental e, como consequência, conseguimos refletir esse esforço àqueles que estão ao nosso redor. De certa maneira, as decisões que tomamos e conquistas que alcançamos hoje, passam para os que virão depois de nós.

Somos um acúmulo de cultura, relações, educação e até mesmo, do patrimônio de gerações anteriores a nossa. Essas variáveis devem ser utilizadas da melhor maneira possível para que possamos realizar mais do que aparentemente podemos e, mesmo que sejamos privados de qualquer possibilidade – por fatores governamentais, crises econômicas, corrupção, falta de segurança, educação, etc – precisamos fazer o esforço necessário a fim de melhorar as nossas chances de sucesso, e assim, sairmos do comum.