Bonsai

Bonsai são árvores em miniaturas que são cultivadas em um vaso e, o seu significado remete justamente a isso “cultivado, plantado em bandeja ou vaso”. Esses tipos de árvores necessitam de uma atenção a mais, por não estarem com suas raízes na terra, precisam de nutrientes com mais frequência, podas regulares para estimular o crescimento e, à medida que crescem é preciso transplantá-las para um vaso maior.

bonsai
bonsai

Ao contrário do que muitos pensam, bonsai não é o nome da árvore, e sim, a técnica que tem por objetivo miniaturizar uma árvore, preservando todas as suas características, tais como: aspectos de folhagem, frutificação, entre outros. Embora fique realmente muito bonita, está condicionada a crescer sob cuidados excessivos, produzindo frutos pequenos, não servirá de sombra a quem procura um descanso e, não promoverá o pouso de pássaros em busca de alimentos o que permitiria espalhar as sementes por ai.

Todos nós temos condições de nos tornamos árvores mas, para que isso dê certo é preciso contar com pessoas que nos façam crescer, nos alimentem de coisas boas e nos permitam criar raízes diretamente no solo e, não em vasos, para que fiquemos cada vez mais fortes e resistentes às adversidades que nos são colocadas durante o percorrer da vida.

Uma árvore com raízes fortes pode sobreviver a uma tempestade, um bonsai seria levado por ela.

Não deixemos que nos limitem, em qualquer aspecto que seja, pessoal, profissional ou, social. A limitação é como o vaso da árvore miniaturizada pela técnica bonsai. Ao mesmo tempo que ele a protege e envolve com a terra necessária para o seu cultivo e permite carregá-la para onde quer que seja, também impede o seu desenvolvimento em sua plenitude. Se não formos plantados no solo, para que nossas raízes cresçam, nosso tronco se enrijeça e nossos galhos frutifiquem, seremos iguais a um bonsai, existimos, mas apenas como decoração.

Combustível

O que de fato nos move? Qual é o combustível que faz nossa vida ser a nossa vida? Aquela que só pertence a nós mesmos? Precisamos saber responder a essas perguntas, não apenas pelo simples motivo do autoconhecimento e sim, apenas por isso!

Combustível: o que te move?
Combustível: o que te move?

Responder com convicção é suficiente para delimitar os objetivos e necessidades da nossa vida que cada vez mais está com um aspecto de competição, percebem? Lutamos para ter os melhores empregos, morar nas melhores casas, vestir as roupas mais caras, comprar o carro do ano… Entenda, não há nada de errado nisso mas, precisamos ter em mente o motivo que nos levou a tomar tal decisão.

Quando não sabemos o que nos satisfaz, compensamos essa falta por outras coisas não tão importantes, nos enrolamos em dívidas que não podemos pagar, compromissos desagradáveis, pessoas com as quais não queremos estar. Nesse meio tempo, esquecemos de ser pessoas melhores, pais mais presentes, filhos mais atenciosos, profissionais mais dedicados…

O autoconhecimento está para a nossa vida assim com o combustível está para o carro. Sem combustível o carro não anda, com combustível adulterado o desempenho fica prejudicado e, com um bom combustível é possível até mesmo rodar um pouco mais e, mesmo existindo vários tipos de combustíveis não são todos que nos favorecem. Quando nos conhecemos de fato, sabemos exatamente o que queremos fazer, onde queremos chegar e o que precisamos fazer para isso. Não é qualquer caminho que nos leva à felicidade a menos que você não saiba o que quer, se for esse o caso, qualquer caminho serve.

Eventualmente, o nosso combustível precisa ser trocado não há nada de errado nisso, porém, precisamos estar prontos para quando isso acontecer. Esse processo pode ser difícil de aceitar já que toda mudança traz uma série de desafios e novidades que nos obrigarão a mudar nossa forma de agir, pensar e ser. O importante é entender que esse processo é necessário para o nosso crescimento pessoal e o maior beneficiado com todo esse processo somos nós mesmos

Maturidade

maturidade
Maturidade só vem com o tempo

Com o tempo a gente aprende a gostar da maturidade. Aprendemos que por mais que queiramos muitas coisas, nem tudo que nos é apresentado nos convém. Não que não seja possível ter, mas simplesmente, não queremos e, essa decisão é suficiente. Passamos a não querer gastar tempo e energia com algo que não nos engrandece enquanto pessoas. Isso serve para diversos aspectos em nossa vida. Aquela festa de virar a noite no fim de semana, trabalhos e situações que não nos satisfazem, amigos que não são tão amigos assim, conversas chatas e cansativas, etc.

Algo engraçado é que quando somos crianças imaginamos que ser adulto é demais. Até é, mas imaginamos pelos motivos errados. Pensamos que se pode fazer tudo, a todo momento, sem dar satisfação pra ninguém, gastar o dinheiro com o que quiser, isso não é ser adulto, é ser jovem. Isso tudo pode parecer ótimo, mas é superficial, insustentável ao longo do tempo e, assim como a beleza, a juventude passa. O que fica é o aprendizado (aquilo que nos torna maduros de fato). Maturidade está na mente e não na idade.

Maturidade é saber dizer não àquilo que não se quer e ficar tranquilo com isso. É trocar intensidade por constância, aparência por essência, vontade por objetivo, ansiedade por calma, corpo por alma. É estar focado e fazer o possível para dar certo, se não der, não tem problema, tentamos novamente em um outro momento =D É ter algo maior com o que se preocupar, responsabilidades, um propósito de vida que direciona nossos esforços. Nos permite ainda, olhar com menos ilusões e aceitar com menos sofrimento as coisas ao nosso redor.

Mesmo com todos os benefícios que a maturidade oferece é preciso não ser maduro demais a ponto de cair. Ela não chega com a idade cronológica ou com o quanto vivemos mas sim, com o quanto aprendemos ao longo do caminho. Ficamos mais sábios e preparados para encarar qualquer desafio sabendo que é possível chegar cada vez mais longe!

Arredores

“Você é a média das cinco pessoas com quem mais convive” Essa frase é conhecida e muito repetida por ai. Parando pra analisar melhor ela apresenta um significado que pode passar desapercebido. A frase dá a ideia de olharmos para nós próprios como centro da questão e muitas vezes não percebemos aquilo que nos cerca, que pode nos limitar ou nos expandir.

arredores
Arredores: quem te acompanha?

Não adianta queremos mudar por conta própria buscando a felicidade ou realização de algum objetivo e não cuidar dos pensamentos, coisas e, pessoas que estão ao nosso redor e ocupam nosso tempo. É como tirar a erva daninha de um único galho de uma árvore. Fazendo isso o galho estará livre da praga mas a árvore não e, eventualmente aquele galho ficará à mercê da ação da erva daninha.

Da mesma maneira acontece em nossas vidas, não adianta nós buscarmos melhorar enquanto pessoas se não pudermos ser capazes de melhorar aquilo que nos cerca. Em especial, o nosso relacionamento com os demais deve ser revisto. Há pessoas que podem nos derrubar com um simples comentário e outras que nos elevam e podem nos tornar melhores do que somos, essas agregam valor a nossa existência.

A limpeza dos arredores da nossa vida é um trabalho interminável e que precisa ser feito de tempos em tempos. Quanto mais a gente limpa as coisas próximas da gente, cada vez mais longe seremos capazes de limpar e, quanto mais longe mais impacto conseguiremos causar na vida das outras pessoas e por consequência na nossa, deixando os arredores infinitos.

Poda

Na jardinagem, a poda consiste no ato de se retirar partes de plantas, arbustos ou árvores, cortando-se ramos ou galhos inúteis. É uma atividade que pode ser feita periodicamente e, quando bem executada favorece o crescimento da planta, renovando-a. Caso não seja feita, a distribuição de nutrientes começa a ser prejudicada pela irregularidade no fluxo da seiva.

Há diferentes tipos de poda: formação, renovação, floração e de raízes. É preciso decidir também sobre a melhor época para se fazer a poda, não faz sentido cortar uma árvore no verão, ela vai ficar fraca e definhar aos poucos. A poda é uma atividade que melhora o aspecto do todo mas, se mal utilizada prejudica com a mesma intensidade. Cuidado!

poda
A poda faz a árvore crescer mais forte

Em alguns momentos da nossa vida precisamos fazer a poda de galhos inúteis. Aqueles galhos que não ajudam o todo a crescer, sugam a energia e permanecem ali, parados, apenas. Muitas vezes temos a ilusão de que uma árvore enorme é majestosa, porém, não temos a real noção da quantidade de galhos podres que aquela árvore teve que esconder para permanecer linda.

Não precisamos disso. Devemos podar com frequência, para que novos galhos brotem, frutos apareçam e possam crescer de maneira saudável. Às vezes, ainda, é preciso trocar até mesmo de vaso ou, de terra e, usar um adubo que dê nutrientes já perdidos ao longo da caminhada e que serviram até aquele ponto de crescimento, porém, sempre precisaremos de mais.

“Podar é fácil, basta cortar”. Contudo, saber escolher qual galho deve ser cortado e qual deve permanecer é uma decisão difícil. Cuidar do jardim dá trabalho, demanda tempo, dedicação e suor, mas quem o faz tem a certeza que as borboletas virão!

3D

Quantas versões existem de você?

Ao longo das nossas vidas, versões de nós são criadas e refletem o que vivemos em um determinado instante de tempo. Com essas versões temos a capacidade de criar o melhor em nós, aos poucos vamos ajustando e redimensionando conforme o momento, as pessoas que nos cercam, os nossos objetivos, necessidades, desejos e sonhos. Cada instante de tempo contribui um pouco para a construção da nossa personalidade e cada relacionamento molda o nosso caráter.

3D
3D: Quantas versões existem de você?

O nosso “eu” atual certamente não é o mesmo de dez ou, quinze anos atrás… Muitos erros, acertos e sem dúvida, ensinamentos, construíram a nossa versão de hoje.

Uma vez ou outra na vida, quando menos estamos esperando, outras versões de nós aparecem como que querendo aproveitar um pouco aquele momento mágico que dura tempo suficiente para se tornar inesquecível. Esses momentos são aqueles breves segundos ativados por alguma lembrança forte que nos leva de volta a fases distantes de nossa vida, e por um instante passamos a sentir exatamente o que sentimos com nossa versão anterior.

Toda essa movimentação e entrelaçamento de versões causa uma mistura de sentimentos e de uma hora para outra passamos a ficar mais alegres, com um sorriso percebido no brilho do olhar. Isso acontece porque naquela pequena fatia de tempo fomos tomados pelo sentimento de alguma versão anterior, até então esquecida, que acaba influenciando na nossa versão atual, melhorando-a cada vez mais.

Todos somos como uma paisagem com belezas e mistérios onde só são percebidos conforme a lente de quem captura a fotografia. Precisamos ver as coisas sob um ângulo diferente, muitas vezes com o olhar do nosso “eu” passado, ter novas experiências, buscar novos desafios, novos estímulos. Tudo isso proporciona um encontro entre nossas infinitas versões, cada uma contribuindo para nos tornar a melhor versão de nós mesmos!

“Foi um prazer tocar com vocês esta noite!”

O que nós mais fazemos ao longo de nossas vidas?

Muitas vezes não nos damos conta mas cada encontro proporcionado nos nossos dias carrega consigo uma despedida. Ainda que breve, de um dia ou dois, mas ainda assim, uma despedida. Temos consciência da importância em tratar bem a quem amamos pois, afinal, sempre pode ser a última vez que estaremos juntos e, mesmo assim, nunca estamos prontos para nos despedirmos, desde o até logo de uma simples conversa até mesmo, à despedida que separa dois corações e os entrega à saudade.

Precisamos entender que a morte faz parte da vida. Pode ser difícil aceitar isso mas, por exemplo, da mesma maneira que um atleta ao correr uma maratona inteira deseja cruzar a linha de chegada, o mesmo acontece quando temos uma boa vida, passamos a desejar chegar ao final. Somente através da morte poderemos ser eternos. Leonardo da Vinci dizia: “- Que o teu trabalho seja perfeito para que, mesmo depois da tua morte, ele permaneça”. Talvez a morte seja a mais dolorosa das despedidas.

foi um prazer
Foi um prazer, sempre é!

Todos os “até mais” são despedidas e carregam muito mais que um simples até logo. Contém todo um agradecimento por uma troca de experiências que nunca mais irá se repetir. Momentos melhores ou piores, talvez, mas igual àquela conversa, àquela troca de olhares, àqueles minutos no qual não se esperava muito mais e que continha alegrias e sentimentos só descobertos a partir daquele instante, são únicos. Toda essa troca de energia possibilita um aprendizado mútuo e a soma deles nos faz uma pessoa melhor. Carregamos um pouco do outro em nós e passamos adiante, tornando-os eternos.

As despedidas encerram um ciclo e possibilitam a criação de outro ainda maior e mais intenso, cheio de alegrias e mistérios a serem descobertos. Após uma despedida feita, nada é mais forte do que a vontade do reencontro ainda que seja só uma expectativa. Cada despedida feita por nós sempre deve ser emocionante, bonita e cheia de significado, igual à frase dita pelo maestro: “Cavalheiros, foi um prazer tocar com vocês esta noite!”.

Abracadabra

Se uma criança dissesse que viu um cavalo voando, qual seria a sua reação?

Muito possivelmente acharia um absurdo, afinal, cavalo não voa! Afagaria a cabeça da criança e, no máximo, diria: ‘- Nossa! Que legal!’, mas no fundo você teria a plena convicção que aquilo não passava de imaginação. E se não fosse mentira? E se na verdade a percepção daquilo que encanta está nos olhos de quem vê?

abracadabra
Abracadabra: a magia acontece bem na frente dos seus olhos

Em algum momento da vida, durante o processo natural de amadurecimento, passamos a não enxergar o mundo com os olhos de uma criança mas sim com os olhos de adultos que agora somos. Com isso, deixamos passar alegrias e momentos únicos que só são possíveis serem capturados pelo simples ato de olhar. Ainda que isso seja bíblico, em 1 Coríntios 13:11 está escrito mais ou menos assim: “Quando eu era criança, pensava como criança, sentia e falava como criança. Quando cheguei à idade adulta deixei para trás as atitudes próprias das crianças.”, é preciso que de vez em quando passemos a olhar as coisas sob uma ótica diferente.

É notório que nos anos iniciais da vida de uma criança elas estão propensas a assimilar tudo mais rápido, aprendem novas línguas com uma facilidade extrema, o cérebro mais que dobra de tamanho na primeira infância e tudo isso faz com que elas se deslumbrem com coisas simples, pois tudo é novidade, um aprendizado imperdível e único. Um pirulito que ganham ou, ainda, uma borboleta voando sobre as flores a ponto de fazer com que corram ao seu encontro com um sorriso gostoso é suficiente para que por um instante fiquem cegas a ponto de concentrarem toda a sua felicidade naqueles ínfimos segundos.

À medida que crescemos perdemos a alegria natural de olhar e perceber as coisas ao nosso redor, tudo é imediato, instantâneo e, regrado seguindo o ponteiro do relógio. Não nos deixamos levar por bobagens e coisas simples, afinal, elas tiram a nossa concentração e não temos mais tempo para essas coisas de “criança”.

Ainda que difícil, quando adultos podemos ter esses instantes em que parece que ficamos presos em um tempo só nosso, concentrados em algo que nos cega por uma fração de segundos a ponto de não percebemos o mundo ao nosso redor, pois, todo nosso entusiasmo está direcionado a algo invisível para a maioria, algo que não é visível com os olhos de adulto. Quando vemos esse “algo” temos a certeza que estamos vendo com os olhos de uma criança, estaremos vendo com o coração.

Farol

Um farol consiste em uma estrutura elevada, comumente uma torre, e o seu topo contém lâmpadas bem fortes e espelhos refletores capazes de iluminar a uma distância enorme. Desde os tempos mais antigos eles serviam para mostrar quando os navegadores estavam se aproximando da terra depois de longas viagens cruzando os mares. Talvez, o mais conhecido deles tenha sido o Farol de Alexandria. Inicialmente, as fontes de luz eram fruto do uso do azeite, depois petróleo, passando pelo gás até chegar, por fim, na eletricidade. Cada farol que era construído possuía características temporais e sociais.

farol
Farol: com ele é fácil encontrar o caminho

“Os faróis iluminam a escuridão dos mares, dia e noite, sem cessar. São luzes solitárias e não esmorecem, atuando principalmente nos dias difíceis de grandes tempestades.”

Uma frase que achei legal

Nossa vida está repleta de faróis que nos mostram a direção ou, caminho, que devemos seguir. Não existem dois caminhos idênticos assim como não há dois espíritos idênticos. Construímos o nosso caminho a todo instante, a cada desafio superado, a cada conquista alcançada, até mesmo a cada sorriso que damos sem motivo… Isso nos edifica e nos torna mais dispostos a encarar qualquer dificuldade que por ventura possa aparecer. Todas essas coisas somadas ajudam a moldar nossas atitudes, pensamentos e até mesmo omissões. Passamos a ouvir mais, compreender a dor do outro e querer ajudar simplesmente pelo fato de ajudar. O ponto de chegada geralmente não importa tanto assim, porém, o caminho trilhado é que diferencia cada ser humano!

E, nessa variedade de caminhos podemos nos deixar guiar por diversos faróis. Existem os faróis individuais que podem ser os nossos objetivos – alvos definidos que buscamos alcançar a qualquer custo, muitas vezes, sem levar em consideração nossa vontade, saúde, desejo ou, nossa paz de espírito.

A definição que mais gosto de pensar é a de que faróis são pessoas. Hoje podemos encontrar muitas pessoas faróis – algumas representam papel de destaque em nossas vidas. Contudo, existem aquelas nem sempre desempenham a mesma importância no meio de tanta ilusão e desacertos. Muitas delas podem sequer dizer frases inteligentes, mas certamente nos transmitem muita serenidade e a certeza de que podemos chegar a ter paz um dia. Na correria habitual, algumas dessas pessoas faróis podem passar desapercebido mas, com um pouquinho de atenção conseguimos visualizar e seguir sua luz.

Pessoas

Tem uma música do Roberto Carlos que é mais ou menos assim: “eu quero ter um milhão de amigos, e bem mais forte poder cantar…” Será que é possível conhecer tudo isso de pessoas numa vida?

pessoas
Pessoas

Não me lembro da primeira vez que escutei esta música, mas lembro bem que foi a partir deste trecho que me veio a vontade de ter um milhão de amigos. Ainda não consegui tudo isso, nem sequer metade, mas estou no caminho…

Não nos damos conta das pessoas que estão ao nosso redor, dos amigos de profissão, colegas de classe na escola ou faculdade, vizinhos de rua ou, pessoas que conhecemos no mesmo bairro… Tem ainda os amigos dos amigos que começam a fazer parte da nossa vida, minimamente que seja, mas deixam uma marca com sua alegria, jeito de ser e se divertir, forma como dançam quando estão levemente alterados, enfim, de qualquer maneira =)

Uma simples tarde que passamos juntos dessas pessoas nos revigora, nos deixa mais alegres, divertidos, felizes, e é suficiente. Um dia tudo isso acaba, pelas circunstâncias do tempo, trabalho, término (natural ou forçado), interesses diferentes e, cada um vai seguir o seu caminho. Quando esse dia chega só nos resta olhar para trás e relembrar dos momentos felizes ao lado dessas pessoas.

“Pessoas são como estrelas, ainda que elas morram, o seu brilho permanece entre nós!”

Autor desconhecido

Ainda que alguém tenha feito você sofrer e não queira ver essa pessoa nem pintada de ouro, esqueça! É o mesmo que tomar veneno e esperar que a outra pessoa morra, só fará mal à você! Como não levamos nada de material mesmo, procure lembrar dos bons momentos, você será uma pessoa mais feliz agindo assim!