Desequilíbrio

Geralmente pensamos que para ter uma vida plena e de sucesso precisamos ter tudo sob controle, em perfeita sintonia e num equilíbrio total. Este pensamento está certo, todavia, muitas vezes interpretamos a palavra equilíbrio de maneira inadequada e acabamos por entender o seu significado de maneira muito superficial. O equilíbrio em nossas vidas não se obtém no curto prazo mas sim, ao longo de vários anos de esforço e dedicação.

Por definição, equilíbrio é um substantivo masculino que significa “harmonia, estabilidade, solidez, aquilo que se distribui de maneira proporcional”. No sentido figurado, pode significar “prudência, moderação, domínio de si mesmo”. Na área da física equilíbrio é definido como “uma condição de um sistema em que as forças que sobre ele atuam compensam, anulando-se mutuamente”, outra definição igualmente válida é: “posição estável de um corpo, sem oscilações ou desvios”.

Des(equilíbrio)
Des(equilíbrio): parado completamente o surfista afunda

Com apenas esses significados é possível perceber que o equilíbrio por completo remete à estar parado, estagnado, não sofrer com interferências externas. Ora, ninguém progride estando onde está. O total equilíbrio em nossas vidas é conhecido como zona de conforto. Nessa área temos tudo sob controle, porém, sem um avanço que possa nos permitir aumentar nossa área de influência, atuação e prosperidade.

Não que não seja saudável estar em uma zona de conforto, porém, precisamos estar cientes que ela também nos limita! Deixamos muitas vezes de arriscar em novas atividades, vislumbrar projetos pessoais, obter novas experiências, etc. Os chineses têm um provérbio cheio da velha sabedoria do imutável Oriente: “Quem anda devagar vai longe”. Devemos agir igual ao equilibrista que estando sobre uma corda bamba precisa, eventualmente, se desequilibrar para chegar do outro lado.

Discordância

Todo mundo em algum momento já sentiu a necessidade de discordar de algo ou alguém, expor e defender a sua opinião com unhas e dentes a ponto de aumentar o tom da voz, utilizar de palavras ruins e gestos completamente desnecessários. No trânsito, por exemplo, se sofremos uma batida de outro carro já saímos esbravejando com os punhos à mostra, cheios de razão querendo que o culpado pague o prejuízo… Muitas vezes não nos preocupamos com a situação como um todo…

discordância
discordância: apenas pense!

Engana-se quem pensa que discordar existe apenas com àquilo que é diferente ou, distante de nós. Nas relações de amizade, por exemplo, não existe apenas a concordância, a discordância existe e deve ser respeitada. Tal atitude quando bem medida pode ser um sinal de progresso, pois, é preciso parar e refletir sobre o que não se vê de imediato.

Um ato de discordância, geralmente precede uma externalização do sentimento de raiva ou, ainda pior, do ódio. Buda dizia: “ódio nunca termina por ódio, mas por amor”. Um mal-entendido nunca termina pela discussão, mas pela tática, diplomacia, conciliação e um desejo simpático de ver o ponto de vista da outra pessoa. É preciso saber ouvir mais do que falar, acolher pensamentos contrários ao nosso, desconfiar de nossa primeira impressão instintiva. Será que estamos certos o tempo todo!?

O melhor meio de vencer uma discussão é evitá-la. Todo o caos gerado nos remete à necessidade de buscar o equilíbrio, nem sempre é possível num primeiro momento mas, sempre possível no longo prazo. Nem toda disputa por um direito claro é saudável, lembre-se: É preferível ceder o caminho a um cachorro a ser mordido por ele!

Carpe Noctem

A cada novo ciclo é possível rever todo o caminho trilhado até então, podemos ainda rever o que deu errado e agradecer pelos objetivos alcançados. Muitas vezes deixamos de mostrar e praticar essa gratidão e desviamos nossa atenção para coisas e pessoas que não nos agregam e nem nos engrandecem enquanto seres humanos.

No dia a dia somos expostos a situações adversas que requerem nossa atenção de maneira única, pensamentos e atitudes direcionadas que simplesmente nos cansam. Às vezes, uma fala inesperada já é suficiente para fazer o chão desabar sob nossos pés. Devemos ater nossa atenção às coisas que nos fazem bem, àquilo que nos faz brilhar os olhos e faz com que tenhamos que pensar em formas de executar a qualquer custo por satisfação pessoal.

carpe noctem
carpe noctem: aproveite a noite

Estamos cercado de obrigações, deveres, coisas e comportamentos que não gostamos mas, simplesmente toleramos e essa aceitação forçada faz com que elas acabem fazendo parte do nosso ser. Atrapalham nossa vida, influenciam nossas decisões, nossa saúde. Chega disso, não!?

No meio disso tudo, os dias vão se passando e cabe a nós escolher como vamos passar pelos dias… Devemos extrair e direcionar nossos esforços para o que há de melhor em nós, manter o foco naquilo que realmente nos agrega valor e nos faz crescer cada vez mais e, sempre que possível reavaliar tudo de novo.

Maturidade

maturidade
Maturidade só vem com o tempo

Com o tempo a gente aprende a gostar da maturidade. Aprendemos que por mais que queiramos muitas coisas, nem tudo que nos é apresentado nos convém. Não que não seja possível ter, mas simplesmente, não queremos e, essa decisão é suficiente. Passamos a não querer gastar tempo e energia com algo que não nos engrandece enquanto pessoas. Isso serve para diversos aspectos em nossa vida. Aquela festa de virar a noite no fim de semana, trabalhos e situações que não nos satisfazem, amigos que não são tão amigos assim, conversas chatas e cansativas, etc.

Algo engraçado é que quando somos crianças imaginamos que ser adulto é demais. Até é, mas imaginamos pelos motivos errados. Pensamos que se pode fazer tudo, a todo momento, sem dar satisfação pra ninguém, gastar o dinheiro com o que quiser, isso não é ser adulto, é ser jovem. Isso tudo pode parecer ótimo, mas é superficial, insustentável ao longo do tempo e, assim como a beleza, a juventude passa. O que fica é o aprendizado (aquilo que nos torna maduros de fato). Maturidade está na mente e não na idade.

Maturidade é saber dizer não àquilo que não se quer e ficar tranquilo com isso. É trocar intensidade por constância, aparência por essência, vontade por objetivo, ansiedade por calma, corpo por alma. É estar focado e fazer o possível para dar certo, se não der, não tem problema, tentamos novamente em um outro momento =D É ter algo maior com o que se preocupar, responsabilidades, um propósito de vida que direciona nossos esforços. Nos permite ainda, olhar com menos ilusões e aceitar com menos sofrimento as coisas ao nosso redor.

Mesmo com todos os benefícios que a maturidade oferece é preciso não ser maduro demais a ponto de cair. Ela não chega com a idade cronológica ou com o quanto vivemos mas sim, com o quanto aprendemos ao longo do caminho. Ficamos mais sábios e preparados para encarar qualquer desafio sabendo que é possível chegar cada vez mais longe!

O simples que funciona

Muitas vezes nos deparamos com dificuldades e objetivos que de certo modo parecem sem solução ou até mesmo inalcançáveis. Isso se dá pela nossa ansiedade em querer realizar muitas coisas mas sem um foco pré-estabelecido. Por exemplo, temos o desejo de escrever um livro mas, não conseguimos nem nos concentrar para ler uma página de um livro sequer por dia, desejamos ainda, que a corrupção seja extinta mas, somos coniventes com situações erradas em nosso trabalho, nosso bairro e até mesmo na nossa própria casa.

Mahatma Gandhi dizia: “- Seja a mudança que você quer ver no mundo”. Pode parecer óbvio, clichê e, de fato é, mas talvez seja exatamente isso que precisamos fazer, o simples. São nas pequenas coisas do dia a dia que as grandes transformações começam e devemos dar a devida importância a elas.

o simples que funciona
o simples que funciona: faça a diferença

Muitas oportunidades nos são dadas para melhorar enquanto pessoas. Podemos ensinar aos nossos filhos o respeito e obediência para com os mais velhos, ensiná-los a jogar o lixo no local adequado. Em conversas com pessoas que tem um pensamento diferente do nosso, podemos ouvir mais e compreendê-las. No trânsito ao voltar para casa podemos dar a vez para um motorista mais apressado em vez de xingá-lo e querer tirar satisfação. Tantas brigas e mortes no trânsito poderiam ter sido evitadas com essa simples atitude.

Há quem pense: “- Que diferença faz”, “- Isso não é responsabilidade minha” ou, “- Eu não tô nem ai”. Sempre é bom lembrar que um incêndio começa com uma simples faísca. Para a construção da bomba atômica apenas um átomo foi modificado. Um átomo foi modificado e sua explosão foi gigantesca a ponto de definir a lado vitorioso em uma guerra mundial. Uma mudança de atitude por menor que seja (do tamanho de um átomo ou grão de mostarda) tem potencial de proporcionar melhorias ou prejuízos em diversos aspectos e em proporções inimagináveis. Prevenir é mais barato do que corrigir, só cabe a nós decidir qual preço vamos pagar.

Qual é o seu valor?

“Todo homem tem seu preço” diz a frase dita por alguém. Muitas vezes fazemos coisas e estabelecemos relações que não valem o nosso esforço, tempo e dedicação. Na pressa diária esquecemos daquilo que realmente importa, muitas coisas tomam o nosso tempo mas, poucas de fato merecem a nossa atenção.

Qual é o seu valor?
Qual é o seu valor? Tens a resposta?

Vivemos na época do “mais”. As pessoas vivem mais, trabalham mais, ganham mais, querem comprar e ter mais coisas, expõem-se mais nas redes sociais mostrando absolutamente tudo da sua vida para todos a qualquer momento, sem filtro. O que vale muitas vezes são aqueles 15 segundos de curtidas e compartilhamentos que transcendem o poder da comunicação e os levam para outros lugares e realidades. Ao mesmo passo, mais jovens estão sofrendo de depressão, estão se matando cada vez mais e, pessoas estão cada vez mais isoladas umas das outras.

Não percebemos mas gastamos muito do nosso tempo e pouco da nossa não atenção. Deixamos passar alegrias únicas para nos concentrar em um instante que nem nos agregaria tanto assim. Essas coisas costumam ter um preço (consequências) mas pouco valor (combustível que nos motiva, melhora enquanto pessoas, momentos especiais). A vida não precisa ser economizada para amanhã, ela acontece sempre no presente.

Precisamos saber responder às perguntas: “Qual é o meu valor?”, “O quê me paga no fim do dia pelo estresso suportado?”, “O quê me agrega e me faz crescer enquanto pessoa?”, “O quê ou quem merece minha atenção?”, “O quê eu quero fazer?”. Depois de responder a esses questionamentos, seremos capazes de não nos limitarmos a ter uma vida medíocre e, poderemos dançar, sorrir e brincar tendo a certeza que estamos investindo nosso tempo com coisas que tenham valor para nós!

Acaso

Até em que ponto as coisas acontecem de maneira planejada? Será que a quantidade de acasos não é maior do que a gente imagina? E em que aspecto os tantos acasos impactam em nossas decisões e têm influência em nossas vidas?

Por definição, acaso (do latim casu) é algo que surge ou, acontece sem motivo ou explicação aparente. Quantas situações em nossas vidas somos expostos ao acaso que poderiam ter benefícios incalculáveis? Que mesmo com o mais rigoroso dos planos não nos damos conta disso? Simplesmente pelo fato daquilo não estar planejado, não ter sido pensado antes ou, não caber no planejamento de gastos?

Muitas vezes sentimos a necessidade de fazer as coisas conforme o nosso plano, seguimos um roteiro planejado antecipadamente que contém ou, deveria conter, tudo aquilo que precisaremos para aquele período de tempo… E refazemos isso repetidamente ao longo de nossas vidas, condicionando-nos à limitação de um plano que julgamos ser o melhor para nós. O ato de planejar é válido! É uma maneira de prevenção contra às possíveis anormalidades que podem nos atingir inesperadamente. Estar preparado é importante mas a vida vai muito além dos nossos planos.

acaso
Acaso: lugar nenhum também é caminho

“O absurdo e a incerteza estapeiam a nossa face a cada esquina” Albert Camus (1913–1960)

O acaso propriamente dito possui três características importantes: 1) É um evento imprevisível e raro apenas para quem não o previu, 2) O evento se torna compreensível somente após ter acontecido e, 3) O evento tem um impacto extremo para quem o sofreu. Nossa vida não segue uma pauta milimétrica e previsível, também existe o acaso, um acontecimento matematicamente improvável no qual é quase impossível prever o seu efeito.

A incerteza do acaso gera uma dificuldade de assimilação daquilo que já estamos habituados, pode nos confundir e criar expectativas sobre algo até então desconhecido. De todo modo é melhor estarmos preparados para os acasos da vida em vez de só reagir diante dos eventos, nesse aspecto o planejamento é importante. E tão importante quanto o planejamento é ter a mentalidade flexível, pois, muitas vezes, são nesses instantes da vida que surgem oportunidades únicas.

Angústia

Angústia pode ter vários significados. A palavra tem origem no alemão “angst” e define algo estreito que provoca desconforto e aperto. Passeia pela redução de espaço e tempo, inquietude que nunca é satisfeita ou, até mesmo, a sensação de sufocamento. Quem já se afogou sabe muito bem disso. Na hora não se pensa que vai morrer, fica-se angustiado com a sensação de sufocamento e querendo lutar a todo custo para voltar a superfície e não conseguir. É um sofrimento eterno que dura alguns segundos.

angústia
Angústia: você faz parte de algo maior

O livro “Angústia” de Graciliano Ramos, publicado em 1936, tem como principal característica a descrição dos estados da alma dos personagens e seus intermináveis questionamentos sobre si próprio e o mundo ao redor.

Em níveis mais específicos, a angústia poderia ser caracterizada como a “dor da morte”. Ela é o marco zero para tantos outros sentimentos igualmente ruins. É algo muito mais forte que a tristeza, por exemplo, que é momentânea e acontece quando passamos por experiências que vão contra nossos valores e interesses. Podemos ficar tristes por alguns instantes, dias, por alguma perda significativa, por alguma palavra dita, ação ou omissão equivocada.

A tristeza recorrente é angústia. Sem início ou fim definidos, toma conta do nosso eu, deixando-nos ansiosos e aflitos ao mesmo tempo, com uma sensação de medo sem forma e preocupação beirando à sensação de perigo, buscamos respostas para uma pergunta que não feita ou, esperando respostas para uma pergunta não ouvida.

A angústia faz com que muitas vezes nos sintamos sozinhos e isolados em meio a tudo. Precisamos reconhecer quando estamos angustiados e saber o que causou esse sentimento, somente assim saberemos como lidar com a situação e aos poucos melhorando nossa percepção sobre às pessoas, necessidades e desejos.

Decisão

Qual foi a decisão mais importante que você já tomou na vida?

Decisão é aquele ponto chave em que existe a possibilidade de ramificação dos nossos caminhos naturais. Muitas vezes, sem nos darmos conta, tomamos decisões que têm consequências para todo o sempre, desde às mais simples do dia a dia, até às mais complexas que parecem nos deixar numa encruzilhada de opções mutuamente exclusivas onde nos vemos obrigados optar pela decisão correta.

decisão
Qual decisão trouxe você até aqui?

Provavelmente, poucos são os acontecimentos dos quais nos lembramos do exato momento em que tomamos uma decisão. Aquela decisão que independentemente das circunstâncias externas, faríamos o possível para fazer dar certo. Mas das vezes que lembramos quais são, estas permanecem em nossa memória por muito tempo. Lembramos do dia, da sensação, do ambiente ao nosso redor, e somos capazes até mesmo de reproduzir tudo de novo em nossa mente.

Tomar uma decisão é difícil, é muito mais que uma simples intenção. Intenção é vontade, decisão é certeza. Uma vez tomada, deve-se ter em mente que aparecerão novos desafios, responsabilidades, alegrias e, tristezas. Ela necessita de algo concreto, uma atitude, um sim e, carrega consigo todo um compromisso de cuidar daquele caminho recém descoberto.

O mais importante não é acertar sempre, e sim, simplesmente, ter a capacidade de tomar uma decisão e saber o motivo para aquela escolha. O ser humano tem uma gana ávida por acertar a todo momento, estar sempre certo de tudo. Uma hora isso cansa e percebemos que o mais importante é ter a sabedoria e paciência para tomar uma decisão, por menor que ela seja. As decisões não devem ser tomadas por acaso, mas sim para mudar às nossas vidas, afinal, são nos momentos de decisão que nosso destino é decidido.

Interseção

No dicionário, a palavra interseção pode ser definida de duas maneiras. A primeira, como “o encontro de duas linhas ou de dois planos que se cruzam” e, a segunda, “corte, principalmente quando feito pelo meio do objeto”. Já, na nossa vida pode ter um significado muito maior.

Durante toda a nossa existência, ao percorrer os caminhos que nos são apresentados, somos postos diante das interseções da vida. Aquele ponto comum entre duas retas com sentido, direção e intensidades diferentes que por um momento se cruzam, podendo misturar forças e por um instante serem únicas. Geralmente essas interseções nos mostram alguma possibilidade futura a partir daquele ponto, a qual só será possível descobrir se a linha tiver sua trajetória alterada.

interseção
Interseção: pegou o melhor caminho?

Cada interseção encontrada em nossas vidas são as decisões que tomamos. Muitas vezes não acertamos, por inexperiência ou, curiosidade pelo desconhecido, até mesmo a pressa do dia a dia nos influencia. Inúmeros são os motivos mas só há uma certeza. Que a partir daquele ponto nada será como antes, semelhante ao oceano que ao receber a menor das gotas de chuva já se encontra modificado. Da mesma forma acontece conosco, em nossas relações, encontros e despedidas, sorrisos e acenos, gentilezas e olhares.

Cada um desses pontos de decisão tem a possibilidade de criar infinitos caminhos, inicialmente não planejados, podendo nos levar a destinos inimagináveis para a nossa realidade. Por um instante são capazes de transformar um sonho em algo concreto. Esse mesmo encontro também é capaz de trazer à toa pensamentos até então esquecidos no âmago do nosso ser e que só são postos à mostra quando diferentes linhas se interligam formando um pequeno ponto.

Nem sempre é possível identificar com facilidade o momento certo do cruzamento dessas linhas em nossas vidas. Então, fiquemos atentos! Com um olhar mais cuidadoso pode-se enxergar além de um simples ponto. Pode-se ver todo o caminho daquela linha até aquele instante, assim como, todo o caminho possível a ser criado daquele ponto até o infinito.