Abracadabra

Se uma criança dissesse que viu um cavalo voando, qual seria a sua reação?

Muito possivelmente acharia um absurdo, afinal, cavalo não voa! Afagaria a cabeça da criança e, no máximo, diria: ‘- Nossa! Que legal!’, mas no fundo você teria a plena convicção que aquilo não passava de imaginação. E se não fosse mentira? E se na verdade a percepção daquilo que encanta está nos olhos de quem vê?

abracadabra
Abracadabra: a magia acontece bem na frente dos seus olhos

Em algum momento da vida, durante o processo natural de amadurecimento, passamos a não enxergar o mundo com os olhos de uma criança mas sim com os olhos de adultos que agora somos. Com isso, deixamos passar alegrias e momentos únicos que só são possíveis serem capturados pelo simples ato de olhar. Ainda que isso seja bíblico, em 1 Coríntios 13:11 está escrito mais ou menos assim: “Quando eu era criança, pensava como criança, sentia e falava como criança. Quando cheguei à idade adulta deixei para trás as atitudes próprias das crianças.”, é preciso que de vez em quando passemos a olhar as coisas sob uma ótica diferente.

É notório que nos anos iniciais da vida de uma criança elas estão propensas a assimilar tudo mais rápido, aprendem novas línguas com uma facilidade extrema, o cérebro mais que dobra de tamanho na primeira infância e tudo isso faz com que elas se deslumbrem com coisas simples, pois tudo é novidade, um aprendizado imperdível e único. Um pirulito que ganham ou, ainda, uma borboleta voando sobre as flores a ponto de fazer com que corram ao seu encontro com um sorriso gostoso é suficiente para que por um instante fiquem cegas a ponto de concentrarem toda a sua felicidade naqueles ínfimos segundos.

À medida que crescemos perdemos a alegria natural de olhar e perceber as coisas ao nosso redor, tudo é imediato, instantâneo e, regrado seguindo o ponteiro do relógio. Não nos deixamos levar por bobagens e coisas simples, afinal, elas tiram a nossa concentração e não temos mais tempo para essas coisas de “criança”.

Ainda que difícil, quando adultos podemos ter esses instantes em que parece que ficamos presos em um tempo só nosso, concentrados em algo que nos cega por uma fração de segundos a ponto de não percebemos o mundo ao nosso redor, pois, todo nosso entusiasmo está direcionado a algo invisível para a maioria, algo que não é visível com os olhos de adulto. Quando vemos esse “algo” temos a certeza que estamos vendo com os olhos de uma criança, estaremos vendo com o coração.

Farol

Um farol consiste em uma estrutura elevada, comumente uma torre, e o seu topo contém lâmpadas bem fortes e espelhos refletores capazes de iluminar a uma distância enorme. Desde os tempos mais antigos eles serviam para mostrar quando os navegadores estavam se aproximando da terra depois de longas viagens cruzando os mares. Talvez, o mais conhecido deles tenha sido o Farol de Alexandria. Inicialmente, as fontes de luz eram fruto do uso do azeite, depois petróleo, passando pelo gás até chegar, por fim, na eletricidade. Cada farol que era construído possuía características temporais e sociais.

farol
Farol: com ele é fácil encontrar o caminho

“Os faróis iluminam a escuridão dos mares, dia e noite, sem cessar. São luzes solitárias e não esmorecem, atuando principalmente nos dias difíceis de grandes tempestades.”

Uma frase que achei legal

Nossa vida está repleta de faróis que nos mostram a direção ou, caminho, que devemos seguir. Não existem dois caminhos idênticos assim como não há dois espíritos idênticos. Construímos o nosso caminho a todo instante, a cada desafio superado, a cada conquista alcançada, até mesmo a cada sorriso que damos sem motivo… Isso nos edifica e nos torna mais dispostos a encarar qualquer dificuldade que por ventura possa aparecer. Todas essas coisas somadas ajudam a moldar nossas atitudes, pensamentos e até mesmo omissões. Passamos a ouvir mais, compreender a dor do outro e querer ajudar simplesmente pelo fato de ajudar. O ponto de chegada geralmente não importa tanto assim, porém, o caminho trilhado é que diferencia cada ser humano!

E, nessa variedade de caminhos podemos nos deixar guiar por diversos faróis. Existem os faróis individuais que podem ser os nossos objetivos – alvos definidos que buscamos alcançar a qualquer custo, muitas vezes, sem levar em consideração nossa vontade, saúde, desejo ou, nossa paz de espírito.

A definição que mais gosto de pensar é a de que faróis são pessoas. Hoje podemos encontrar muitas pessoas faróis – algumas representam papel de destaque em nossas vidas. Contudo, existem aquelas nem sempre desempenham a mesma importância no meio de tanta ilusão e desacertos. Muitas delas podem sequer dizer frases inteligentes, mas certamente nos transmitem muita serenidade e a certeza de que podemos chegar a ter paz um dia. Na correria habitual, algumas dessas pessoas faróis podem passar desapercebido mas, com um pouquinho de atenção conseguimos visualizar e seguir sua luz.

Hiato…

Na língua portuguesa, hiato pode ser definido como o encontro de duas vogais que pertencem a sílabas diferentes. Na anatomia, é uma fenda ou abertura no corpo humano. Essa mesma palavra costuma ser utilizada quando artistas (geralmente no auge da carreira), sentem que precisam “dar um tempo”, dedicar-se a projetos pessoais ou, ainda, buscar novos desafios. 

hiato
O hiato permite pensar fora da caixa!

Muitas vezes em muitos momentos não nos damos conta mas nos encontramos em um completo hiato em nossa vida. Tudo é tão imediatista (igual ao preparo de macarrão instantâneo) que paramos de pensar em nossos projetos pessoais, deixamos de apreciar conversas, criar relações e experiências que nos engrandecem enquanto seres humanos e pode nos motivar cada vez mais dia após dia.  Quando percebemos estamos diante de pessoas que nos fazem sorrir simplesmente pelo olhar, nos deixam ansiosos só no pensar e isso nos deixam maravilhados.

E por que afinal, isso nos encanta tanto!?

Muitas vezes porque estamos imersos em um profundo hiato sem nos darmos conta. Esquecemos a sensação e da alegria de conversar com alguém (todos estão sempre atrasados), temos a disposição tanta tecnologia que nos conecta numa velocidade cada vez mais rápida, entretanto, faz com que sejamos como ilhas, cada um no seu quadrado. Certa vez alguém disse: “- Nenhum homem é uma ilha, isolado em si mesmo; todos são parte do continente, uma parte de um todo”. Trocamos prazeres simples como um jogo de xadrez, por likes e curtidas nas redes sociais.

É importante reconhecer a existência do hiato em nossas vidas. Ele nos faz refletir sobre diversos aspectos que nos circundam e que caminho estamos seguindo. Contudo, o mais importante é conseguir enxergá-lo a tempo (para aqueles que estão e não sabem) e perceber a evolução pela qual passamos para que assim possamos sair dele, fechar a fenda existente fruto de toda insatisfação e melhorarmos cada vez mais enquanto pessoas.

Ano novo, vida nova!

Essa é uma frase muito comum, nos dias de sempre não é!?

ano novo, vida nova
Ano novo, vida nova: um brinde à vida!

Muitas pessoas desejam uma vida nova, cheia de mudanças, surpresas, alegrias, desafios, reconhecimento pessoal e profissional… até que uma hora isso acontece. E agora!? Como você reage!?

Ta aí. Você queria tanto uma mudança que quando ela ocorre acaba por perceber que não estava preparado para mudar, que era melhor ter ficado como estava, fazendo o que estava acostumado a fazer, parado onde era cômodo e confortável, onde você tinha controle da situação, observando e agindo conforme as suas necessidades ou instintos. Agora a conversa é outra!

Mesmo que não queira, precisará mudar. Seu comportamento, suas atitudes, seu modo de falar e de ver o mundo precisam se adequar a sua nova realidade.

Apenas isso e tudo isso

Nesse momento você pensa no que poderia ter feito de diferente, no que deixará de fazer, os planos que serão adiados e nos outros que serão adiantados. Com essa mudança, você tem duas alternativas. 1: Aceita a mudança, aceita as responsabilidades que ela trará e, muda para a sua nova vida ou, 2: Vira as costas e deixa tudo do jeito como está.

Até você escolher não tem como saber qual é a melhor opção, cada uma delas trás as devidas consequências que você terá que carregar pelo resto até o sempre, ou até o ano terminar e começar tudo de novo outra vez.

Estamos indo de volta pra casa…

“Mudaram as estações
nada mudou
Mas eu sei que alguma coisa aconteceu
Tá tudo assim, tão diferente…”

Cássia Eller já disse que nada mudou mas ainda assim está tudo diferente! Será que é assim mesmo, ou é apenas fruto da nossa vontade inconcebível de sentir saudade daquilo que fizemos questão de abrir mão!?

de volta pra casa
De volta pra casa ou, não.

Em poucos momentos eu senti tanta saudade de casa como no último domingo. Chovia desde cedo e assim ficou até o cair da tarde. Pensamentos e pessoas me vieram à cabeça, o que estavam fazendo, o que eu estaria fazendo.

Pude perceber finalmente o significado de “lar”, não de casa, mas lar. Pessoas e coisas que te fazem querer nunca sair dali, porém, só se sabe realmente o que quer dizer quando se abre mão dele para ir em busca de algo maior, algo que te complete como pessoa, como profissional e, então, quando se conquista tudo isso, eis que surge a falta do lar!

Esse sentimento de falta não é ruim, serve para nos tornar mais resistentes e fortes com o passar do tempo, com isso treinamos o nosso desapego, deixamos de certo lado as coisas para trás e continuamos a nossa caminhada rumo a um futuro promissor cheio de desafios e obstáculos ou, apenas, seguimos em frente!

Pessoas

Tem uma música do Roberto Carlos que é mais ou menos assim: “eu quero ter um milhão de amigos, e bem mais forte poder cantar…” Será que é possível conhecer tudo isso de pessoas numa vida?

pessoas
Pessoas

Não me lembro da primeira vez que escutei esta música, mas lembro bem que foi a partir deste trecho que me veio a vontade de ter um milhão de amigos. Ainda não consegui tudo isso, nem sequer metade, mas estou no caminho…

Não nos damos conta das pessoas que estão ao nosso redor, dos amigos de profissão, colegas de classe na escola ou faculdade, vizinhos de rua ou, pessoas que conhecemos no mesmo bairro… Tem ainda os amigos dos amigos que começam a fazer parte da nossa vida, minimamente que seja, mas deixam uma marca com sua alegria, jeito de ser e se divertir, forma como dançam quando estão levemente alterados, enfim, de qualquer maneira =)

Uma simples tarde que passamos juntos dessas pessoas nos revigora, nos deixa mais alegres, divertidos, felizes, e é suficiente. Um dia tudo isso acaba, pelas circunstâncias do tempo, trabalho, término (natural ou forçado), interesses diferentes e, cada um vai seguir o seu caminho. Quando esse dia chega só nos resta olhar para trás e relembrar dos momentos felizes ao lado dessas pessoas.

“Pessoas são como estrelas, ainda que elas morram, o seu brilho permanece entre nós!”

Autor desconhecido

Ainda que alguém tenha feito você sofrer e não queira ver essa pessoa nem pintada de ouro, esqueça! É o mesmo que tomar veneno e esperar que a outra pessoa morra, só fará mal à você! Como não levamos nada de material mesmo, procure lembrar dos bons momentos, você será uma pessoa mais feliz agindo assim!