Arrumar as malas

arrumar as malas
Arrumar as malas: leve somente o necessário

Arrumar as malas para viajar faz com que escolhamos nossas melhores roupas, fazemos as melhoras combinações, pensamos nas inúmeras possibilidades de passeio e oportunidades. Além disso, nos faz ser objetivos em nossa decisão. Precisamos pegar aquilo que será utilizado, aquilo que realmente importa. Mas será que estamos preparados para separar o que é importante para nós?

O processo de arrumar as malas está presente em nossas vidas desde o nascimento quando nossos pais antes de ir para a maternidade pegaram tudo (e até um pouco mais) e levaram consigo para receber o filho recém-nascido. A preocupação é grande, não se sabe ao certo o que pode ser utilizado, o que é importante e o que não é. Apenas se fez a mala contando que tudo ali seja suficiente.

Conforme os anos vão se passando, acumulamos coisas ao longo do caminho e vamos guardando em nossa mala. Em um determinado ponto o peso pode ficar insuportável, ficamos muitas vezes esperando que alguém possa nos ajudar a dividir esse fardo. Contar com esse auxílio é difícil pois, nesse ponto todas as outras pessoas tem a sua própria mala para carregar.

Se a mala fica muito pesada temos duas alternativas. Podemos pagar o preço pelo excesso de peso e ficamos com tudo o que queremos ou, podemos manter somente aquilo que de fato é importante. Mas como decidir entre tantas coisas importantes na vida? Arrumar as malas dá trabalho. É preciso dedicar um tempo para isso.

Uma alternativa é viajar de mochila, só tem vantagens. Não se paga por excesso de peso, se ficar muito pesada nem dá para carregar, cabe em qualquer lugar (do lado do sofá ao canto de um quarto), se houver extravio o dano é menor (afinal não tem tudo de importante mesmo), é fácil de arrumar e muito útil para passeios curtos. Quando somos pequenos, nossa mala é pequena. À medida que crescemos a quantidade de coisas que nos interessam e nos prendem vão aumentando. Cabe a nós decidir o que colocar e o que pode ser deixado de lado =)

Interseção

No dicionário, a palavra interseção pode ser definida de duas maneiras. A primeira, como “o encontro de duas linhas ou de dois planos que se cruzam” e, a segunda, “corte, principalmente quando feito pelo meio do objeto”. Já, na nossa vida pode ter um significado muito maior.

Durante toda a nossa existência, ao percorrer os caminhos que nos são apresentados, somos postos diante das interseções da vida. Aquele ponto comum entre duas retas com sentido, direção e intensidades diferentes que por um momento se cruzam, podendo misturar forças e por um instante serem únicas. Geralmente essas interseções nos mostram alguma possibilidade futura a partir daquele ponto, a qual só será possível descobrir se a linha tiver sua trajetória alterada.

interseção
Interseção: pegou o melhor caminho?

Cada interseção encontrada em nossas vidas são as decisões que tomamos. Muitas vezes não acertamos, por inexperiência ou, curiosidade pelo desconhecido, até mesmo a pressa do dia a dia nos influencia. Inúmeros são os motivos mas só há uma certeza. Que a partir daquele ponto nada será como antes, semelhante ao oceano que ao receber a menor das gotas de chuva já se encontra modificado. Da mesma forma acontece conosco, em nossas relações, encontros e despedidas, sorrisos e acenos, gentilezas e olhares.

Cada um desses pontos de decisão tem a possibilidade de criar infinitos caminhos, inicialmente não planejados, podendo nos levar a destinos inimagináveis para a nossa realidade. Por um instante são capazes de transformar um sonho em algo concreto. Esse mesmo encontro também é capaz de trazer à toa pensamentos até então esquecidos no âmago do nosso ser e que só são postos à mostra quando diferentes linhas se interligam formando um pequeno ponto.

Nem sempre é possível identificar com facilidade o momento certo do cruzamento dessas linhas em nossas vidas. Então, fiquemos atentos! Com um olhar mais cuidadoso pode-se enxergar além de um simples ponto. Pode-se ver todo o caminho daquela linha até aquele instante, assim como, todo o caminho possível a ser criado daquele ponto até o infinito.